Bem-Vindo!

Nossas ações educacionais e sociais iniciaram-se no ano de 1929, pela ação conjunta de um grupo de operárias na periferia de São Paulo. Em 1943 foi constituída a Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG) e, em 1956, a Associação pela Família (ASPF), que é a mantenedora das nossas unidades escolares e das nossas ações socioassistenciais e culturais.

A Associação Pela Família (ASPF) e a Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG) nascem nos anos em que se desenvolviam, no mundo e no Brasil, dois movimentos que tiveram grande repercussão: a Escola Nova, que propunha uma renovação pedagógica e a Ação Católica com o objetivo de revitalizar o cristianismo e o seu compromisso com a justiça social.

Navegue por nossa história e pelos acontecimentos de cada ano para nos conhecer um pouco mais.

1940 – O Começo da Jornada

A década de 1940 marca o início de nossos trabalhos na área educacional, foi nessa época que a Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG) foi fundada.

No bairro de Higienópolis, em 1943, as professoras Carmelita Grassi Bonilha e Maria de Oliveira Neves fundaram a Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG), uma escola católica, não confessional. Localizada na Rua Maranhão, 598, no bairro de Higienópolis, na capital paulista, a proposta era de uma escola leiga, inspirada nos princípios cristãos.

Colaboradores:

1 º Diretor(a) ENSG: Carmelita Grassi Bonilha

"Essas mulheres que eram profetas, missionárias, que fundaram a Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG), basearam todo seu trabalho na fé e na educação." Jayme Altomar

A Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG) está sob a gestão da Associação Brasileira de Educação e Instrução de Meninas.

Colaboradores:

2º Diretor(a) ENSG: Vera Siqueira de Toledo

Nasce a semente da Sociedade Pela Família (SPF) nas assembléias da Ação Católica, onde se encontravam com frequência as operárias da Juventude Operária Católica (JOC) e professoras da ENSG. Dessa convivência nasce o desejo de trabalharem juntas.O grupo foi se ampliando, Edith Bogus que coordenava um trabalho em Itaberaba, zona norte da capital, passa a integrar o grupo do Ferreira, zona oeste da capital paulista, junto com Durvalina Noronha, que, em 1946 comprou dois terrenos para desenvolver o trabalhos na região do Ferreira.

1950 – Fundação

A década de 1950 oficializa juridicamente a existência da Sociedade Pela Família (SPF), sua fundação deve-se ao apoio de diversas pessoas que ao longo dos anos estiveram próximas da instituição, como benfeitores e atuantes no trabalho.

Colaboradores:

3º Diretor(a) ENSG: Maria Eugênia de Andrade Moraes

"A Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG) era uma casinha adaptada, um sobradão, que ficava ali na Rua Maranhão, 598, em frente à igreja de Santa Teresinha. Era tudo muito pequeno ainda." Laura Souza Pinto

É fundada a Sociedade Pela Família (SPF) em 01/09/56, uma entidade filantrópica que incorporou o trabalho do Núcleo do Ferreira. Com reuniões, doações, bazares, chás beneficentes e rifas. A sociedade compra o primeiro lote, na Rua Tabapuã, no Itaim Bibi, zona oeste de São Paulo.

Colaboradores:

Primeira Diretoria SPF

Presidente: Maria Eugênia de Andrade Moraes; Vice-Presidente: Aparecira Yecla de Barros Gomora; Secretária: Edith Bogus; Tesoureira: Giselda Pompeu de Toledo

Colaboradores:

Segunda Diretoria SPF

Presidente: Maria Eugênia de Andrade Moraes; Vice-Presidente: Yecla de Barros Gômora; Secretária: Edith Bógus; Tesoureira: Giselda Pompeu de Toledo

"A Sociedade Pela Família (SPF) primeiro se formalizou e depois começou a estudar como fazer para ter uma sede. Quando as fundadoras pensavam em como manter uma fonte de renda, sendo a maioria professoras, tiveram a ideia de uma escola. Assim ocorreu a compra da Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG)." Laura Souza Pinto

A Sociedade Pela Família (SPF) compra a Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG), que seria a sua sede. Contando com a colaboração das voluntárias e à generosidade de inúmeros doadores, inicia a construção de um novo prédio no Itaim, na época um bairro de classe média, para onde foi transferida a escola.

1960 – Anos Difíceis

O golpe de 1964 cria um cenário de medo e insegurança entre associados, pais e alunos. O clima de tensão e até mesmo o exílio de associados dificultam o trabalho. Nos anos seguintes houve uma ruptura na Sociedade Pela Família (SPF), por divergências políticas. Enquanto a instituição se reorganizava, a direção da escola ENSG, contando com a colaboração da recém criada Associação de Pais e Mestres, implantou o ensino de primeiro e segundo grau e realizou obras para atender às exigências legais e receber os novos alunos.

A Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG) inaugura suas atividades no novo prédio no Itaim Bibi, com a implantação de um curso primário e de educação infantil. Todo o empenho estava concentrado na Escola, que tinha seu trabalho norteado pelos princípios da Escola Nova.

Colaboradores:

4º Diretor(a) ENSG: Laura Souza Pinto

"Quando fomos para o novo prédio, me tornei a primeira diretora sob a nova mantenedora. As preocupações eram muitas, porque estávamos buscando implantar uma escola nova. Então havia estranheza em tudo: a proposta de alfabetização, de tirar o uniforme, de sair com os alunos, mesmo que para ir à feira, era um mundo inteiro de novidades." Laura Souza Pinto

A Sociedade Pela Família (SPF) cria o Núcleo infantil e Juvenil São Paulo, com a junção das atividades dos Núcleos Ferreira e Itaberaba. As atividades passam a ser desenvolvidas na capela construída na Rua Dona Leandrina da Cunha.

Colaboradores:

Terceira Diretoria SPF

Presidente: Edith Bógus; Vice-Presidente: Laura Souza Pinto; Secretária: Nair de Oliveira Ribeiro; Tesoureira: Giselda Pompeu de Toledo

A Sociedade Pela Família (SPF) conseguiu o primeiro registro como instituição beneficente de assistência social, certificada pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC).

Zilda Noronha Miné doa um terreno ao lado da capela do Ferreira para a Sociedade Pela Família (SPF), onde são desenvolvidas as atividades do Núcleo, e Paulo Bogus é o benfeitor das obras.

Colaboradores:

Quarta Diretoria SPF

Presidente: Edith Bógus; Vice-Presidente: Laura Souza Pinto; Secretária: Nair de Oliveira Ribeiro; Tesoureira: Giselda Pompeu de Toledo

"A SPF se manteve coesa até 64, depois houve uma ruptura. Tivemos, inclusive, problemas com os pais. Um deles foi à minha casa dizer que não queria a filha dele sofrendo pressão comunista. Isso porque o professor Fernando José de Almeida havia passado um livro do Paulo Freire em sala. No domingo, retiramos todos os livros que poderiam ser suspeitos de crime na escola, incluindo Jorge Amado." Laura Souza Pinto

O trabalho no Núcleo do Ferreira continuava. Durvalina doa os terrenos onde aconteciam as atividades, para a Sociedade Pela Família (SPF) que também adquire um terreno nos fundos da capela do Ferreira.

Colaboradores:

Quinta Diretoria SPF

Presidente: Edith Bógus; Vice-Presidente: Laura Souza Pinto/Zilda Noronha Miné; Secretária: Antonieta Moreira Leite/Renata Verdolin; Tesoureira: Isaura Peinado Rodrigues/Sara Tinti

"A SPF passou pela ditadura militar sempre defendendo liberdade e os direitos dos cidadãos." Jayme Altomar

1970 – Clubes de Mães e Bolsas de Estudo

Acentuando de forma contínua sua ação social na década de 1970, a Sociedade Pela Família (SPF), dá início ao projeto do Clube de Mães nas periferias de São Paulo, uma ideia pioneira que trazia consigo princípios, hoje, reconhecidos como economia criativa. Nesse mesmo ano, procurando expandir o acesso a seu trabalho educacional de qualidade, a Sociedade Pela Família (SPF) cria na Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG) um departamento de bolsas de estudo.

A Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG) extingue as classes de educação infantil e cria salas especiais de atendimento a crianças com dificuldades específicas nas áreas motora, verbal e de raciocínio abstrato, chamada “Pedagogia Especializada”.

Criado o Departamento de Bolsas de Estudo na Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG), com regimento próprio e finalidade de atender estudantes carentes de recursos financeiros.

Colaboradores:

Associados:

Zilda Noronha Miné

Colaboradores:

Sexta Diretoria SPF

Presidente: Edith Bógus; Vice-Presidente: Zilda Noronha Miné; Secretária: Renata Verdolin; Tesoureira: Sara Tinti

Associados:

Anna Maria Ferraz Wey; Ilda Noronha Miné

A Sociedade Pela Família (SPF) firma um convênio com o Movimento Brasileiro de Alfabetização (MOBRAL) para alfabetização de adultos.

No Núcleo do Ferreira, que passa a ter o nome de Núcleo Infantil e Juvenil São Paulo, é criado o clube de mães com 25 sócias, sob a orientação de Clarisse Ferraz Wey e Renata Verdulin.

A Sociedade Pela Família (SPF) é reconhecida como instituição de Utilidade Pública Municipal e Estadual.

Colaboradores:

Associados:

Guilhermina Paula Santos

A Sociedade Pela Família (SPF) muda o nome do Núcleo Infantil e Juvenil São Paulo, que passa a chamar-se Núcleo Educacional São Paulo.

Colaboradores:

Sétima Diretoria SPF

Presidente: Edith Bógus; Vice-Presidente: Paschoal Valente Júnior; Secretária: Anna Maria Ferraz Wey; Tesoureira: Sara Tinti

Associados:

Maria Apparecida Ferraz Wey

A Sociedade Pela Família (SPF) cria o segundo Clube de Mães, o Clube São José Operário, sob a orientação de Zilda Noronha Miné.

O Núcleo Educacional São Paulo é reformado para funcionar como a Escola de Educação Infantil Gracinha, com o atendimento inteiramente gratuito, sob a direção de Guilhermina Paula Santos.

Na Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG) é apresentado um plano escolar para a criação do segundo grau.

Também é criada a Escola de Educação Infantil Iandarama (1975-1977), na Rua Sampaio Viana.

"Em 1975 eu comecei a trabalhar na Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG), na época a escola estava com projeto de ampliar o segundo grau. Até então eu nunca tinha ouvido falar da escola, a Laura me convidou a assumir a função de orientadora educacional, eu fiz a entrevista e fiquei." Maria Stella Scavazza

Colaboradores:

5º Diretor(a) ENSG: Zuleika Courrol do Valle Ramos

Colaboradores:

Diretoria SPF

Presidente: Edith Bógus; Vice-Presidente: Ulisses do Valle Oliveira Ramos; Secretária: Sara Tinti; Tesoureira: Anna Maria Ferraz Wey

Criado o Projeto Periferia e Clube de Mães na Capela São João Batista, no Valo Velho, zona sul de São Paulo.

1980 – Novas Perspectivas

A década de 1980 marca uma transição histórica para o país e para a Sociedade Pela Família (SPF). Nesse período ocorre a aquisição de um terreno no Jardim Colibri, no município de Embu, com a ideia de construir uma escola. É também quando são iniciadas as atividades no bairro do Jardim Jaqueline, lugar de fundação do Centro de Participação Educativa e Comunitária Clarisse Ferraz Wey.

A Sociedade Pela Família (SPF) aprova a compra de um terreno no Jardim Colibri, no município de Embu, para futura construção de uma escola.

Colaboradores:

Diretoria SPF

Presidente: Edith Bógus; Vice-Presidente: Ulisses do Valle Oliveira Ramos; Secretária: Sara Tinti/ Gino Tinti; Tesoureira: Anna Maria Ferraz Wey

Colaboradores:

6º Diretor(a) ENSG: Antonieta Moreira Leite

A Sociedade Pela Família (SPF) adquire um imóvel na Rua Virgílio Várzea, ao lado da Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG), onde passa a funcionar sua nova sede. Nesse mesmo ano é vendido o imóvel da Rua Sampaio Viana e são impulsionadas as iniciativas na comunidade do Jardim Jaqueline.

Colaboradores:

Associados:

Josué Rodrigues Silva Machado; Neusa Nakashima; Lélia Natalina Pasculi Visani

Na Sociedade Pela Família (SPF), o Clube de Mães é transferido para o Jardim Jaqueline, onde passa a funcionar em um barracão de madeira.

"A Clarisse Ferraz Wey começou a desenvolver um trabalho no Jardim Jaqueline, com o Clube de Mães, um grupo que se reunia para costurar, como uma cooperativa. A SPF fornecia o material básico, as mães faziam, por exemplo, panos de pratos, vendiam e o dinheiro voltava como investimento." Maria Stella Scavazza

Colaboradores:

Diretoria SPF

Presidente: Edith Bógus; Vice-Presidente: Jatyr de Souza Pinto Filho; Secretária: Lélia Natalina Pasculli Visani; Tesoureira: Gino Tinti

Na Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG) é implantando o projeto pioneiro para uso de informática.

Colaboradores:

7º Diretor(a) ENSG: Maria Edméa Mendonça Morato de Andrade e Fernando José de Almeida

A Sociedade Pela Família (SPF) adquire um imóvel no Jardim Jaqueline para ser a sede das atividades desenvolvidas no bairro.

A Sociedade Pela Família (SPF) cria o Centro de Participação Educativa e Comunitária Clarisse Ferraz Wey. No início, as atividades são provisoriamente desenvolvidas no salão paroquial da Capela Sagrado Coração de Jesus.

Colaboradores:

7º Diretor(a) ENSG: Maria Edméa Mendonça Morato de Andrade

Colaboradores:

Diretoria SPF

Presidente: Edith Bógus; Vice-Presidente: Jatyr de Souza Pinto Filho; Secretária: Lélia Natalina Pasculli Visani; Tesoureiro: Gino Tinti

Inaugurada a unidade Centro de Participação Educativa e Comunitária Clarisse Ferraz Wey, em homenagem à sócia que iniciou o trabalho no bairro, com as atividades do Clube de Mães. Participação e apoio de Romilda Maria Sobral e da moradora do bairro Maria Marlene do Nascimento. Apoio pedagógico de Maria Stella Scavazza, Edmea Morato Andrade e Lurdes Barelli

Colaboradores:

1º Diretor(a) Centro Clarisse: Rosimeire Aparecida Moreira

Colaboradores:

8º Diretor(a) ENSG:

Maria Regina Medeiros de Assis

"A primeira vez que fui ao Jardim Jaqueline fiquei impressionada com a quantidade de crianças em uma situação difícil. A ideia embrionária dos Centros era trabalhar com crianças que precisavam de uma assistência, e nós aqui com disponibilidade de fazer. Professores e mães de alunos da Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG) também participavam desse trabalho na época." Maria Stella Scavazza

Colaboradores:

Diretoria SPF

Presidente: Leonel Godoy Pessôa; Vice-Presidente: Edith Bogus/Maria Apparecida Ferraz Wey; Secretária: Lélia Natalina Pasculli Visani; Tesoureiro: Gino Tinti/ Francisco Augusto Carmil Catão

1990 – Democratização

No período democrático desenvolveram-se, especialmente em São Paulo, as ONGs, organizações não governamentais, que procuravam adaptar os principios empresariais à sua realidade. Foram estudados e definidos, Missão, Princípios e Valores; implantaram-se processos de gestão de recursos, criando-se a controladoria; avaliação de desempenho; definição da estrutura organizacional; descrição de cargos e funções. Foi promovida também a informatização dos procedimentos em todas as áreas de trabalho.

Colaboradores:

9º Diretor(a) ENSG:

Eduardo Roberto da Silva (Castor)

Colaboradores:

2º Diretor(a) Centro Gracinha

Patricia Rossi Torralba Marinaro

Colaboradores:

2º Diretor(a) Centro Clarisse:

Maria José do Nascimento (Dudé)

A Escola de Educação Infantil Gracinha passa a funcionar como Centro Educacional Gracinha, oferecendo atividades para crianças e adolescentes.

Colaboradores:

3º Diretor(a) Centro Gracinha:

Vera Lucia Galli

Colaboradores:

Diretoria SPF

Presidente: Leonel Godoy Pessôa; Vice-Presidente: Lélia Natalina Pasculli Visani; Secretária: Maria Helena de Oliveira Junqueira; Tesoureira: Romilda Maria Sobral/ Luiz Marcello Moreira de Azevedo Filho

Associados:

Antonio Carlos L. Pedreira Freitas; Jayme Altomar; Maria Apparecida G. P. de Freitas e Sonia Maria de Freitas Altomar

Têm início as atividades do Centro de Apoio à Criança “O Visconde” (1993-1996), em parceria com a Associação de Moradores do Bairro do Morumbi

Na Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG) é criado o projeto "Aluno Ação", com o objetivo de dar condições de participação em ações voltadas para o trabalho social.

Colaboradores:

Diretoria SPF

Presidente: Edith Bógus; Vice-Presidente: Jatyr de Souza Pinto Filho; Secretária: Lélia Natalina Pasculli Visani; Tesoureira: Gino Tinti

A Sociedade Pela Família (SPF) obtém o certificado de instituição de utilidade pública federal, com reconhecimento retroativo a 1978.

Inaugurado o Centro Educacional Colibri, construído em parceria com o Instituto C&A, no terreno de propriedade da Sociedade Pela Família (SPF), no município de Embu das Artes, com educação infantil e atendimento a crianças no contraturno escolar.

Colaboradores:

1º Diretor(a) Colibri: Tereza Maria Lourenço Pereira

3º Diretor(a) Centro Clarisse: Maria do Carmo Risi Moreira de Azevedo

5º Diretor(a) Centro Gracinha: Hilda Setsuko Hashimoto

A Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG) recebe o prêmio de Incentivo à Prevenção e ao Uso indevido de Drogas nas Escolas

Associados:

Alzira Maria de Almeida; Ana Alice D’Andrea; Glaura M. Souza T. Bittencourt; José Luiz Brant de Carvalho; Renato Serra Filho; Rosana Cristina de Lucia P. Páscoa; Sonia Galvez Serra

Tem início o convênio entre a Secretaria de Assistência Social da Prefeitura de São Paulo e os Centros Educacionais Gracinha e Clarisse.

A Sociedade Pela Família (SPF) recebe, pela primeira vez, o Prêmio Bem Eficiente, conferido pela Kanitz & Associados.

Iniciadas as atividades do Centro Educacional Girassol (1998-2011), com foco na educação infantil, no bairro do Jardim Jaqueline. Também é iniciada outra parceria com o Instituto C&A, no projeto “Fazendo Arte”, que marca o início dos profissionais de arte educação nos Centros Educacionais.

Colaboradores:

2º Diretor Colibri: Dirce Matiko Takano

Colaboradores:

Diretoria ASPF:

Presidente: Jayme Altomar; Vice-presidente: Leonel Godoy Pessôa/Cyro Rubens Álvares Pessôa; Secretária: Lélia Natalina Pasculli Visani; Tesoureiro: Josué Rodrigues Silva Machado

Iniciadas as atividades da Educação de Jovens e Adultos - EJA (1999-2011) no Jardim Jaqueline

2000 – Crescimento

Os primeiros anos do século XXI foram de muita movimentação na Sociedade Pela Família (SPF). A primeira década do século é marcada pela abertura de novas unidades e pelo reconhecimento em prêmios e parcerias com grandes instituições. Ocorre também a mudança de seu nome para Associação Pela Família (ASPF).

Colaboradores:

3º Diretora Colibri: Maria Cecilia Mello Fernandes

A Sociedade Pela Família (SPF) recebe, pela segunda vez, o Prêmio Bem Eficiente, conferido pela Kanitz & Associados, e também recebe o Prêmio Voluntário do Ano.

Colaboradores:

Associados:

Alcino Junqueira Bastos

A Sociedade Pela Família (SPF), em parceria com a Prefeitura de São Paulo, inaugura o Centro Educacional Uirapuru (2001-2006), no Jardim João XXIII, com atendimento a crianças no contraturno escolar.

Colaboradores:

Diretoria:

Presidente: Josué Rodrigues Silva Machado; Vice-presidente: Cyro Rubens Álvares Pessôa/ José Luiz Brant de Carvalho; Secretária: Marie Françoise Andriollo Vilela; Tesoureiro: Jayme Altomar

Na Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG) é lançado o livro "Borogodó, Escola Nossa Senhora das Graças, 60 anos", em celebração aos 60 anos da escola.

Lançamento do livro "Crisálida - o casulo do novo cidadão".

Em função das exigências do Novo Código Civil Brasileiro, a instituição passa a chamar-se Associação Pela Família (ASPF). A sede é transferida para a Rua Bento de Andrade, 324, Jardim Paulista. Ainda neste ano recebe, pela terceira vez, o Prêmio Bem Eficiente, conferido pela Kanitz & Associados.

Colaboradores:

Associados:

Claudio Damasceno Jr; Ubirajara de Souza Pinto

São iniciadas as atividades de mais uma unidade escolar adquirida pela Associação Pela Família, a Nova Escola, com os cursos de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio.

A Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG) passa por uma grande reforma em seu espaço físico, para adequação ao novo modelo pedagógico e ao aumento do número de alunos.

Colaboradores:

1º Diretor(a) NE: Maria Ines Del Tedesco Nabuco de Oliveira

É criado o Centro Educacional Caminho Novo (2004-2013), na Mooca, para alfabetização de homens em situação de abrigamento, em parceria com o Arsenal da Esperança. Também são iniciadas as atividades do Centro Educacional Asas Fortes (2004-2010) em parceria com a Instituição de Amparo à Criança “Asas Brancas”, no município do Taboão da Serra.

Colaboradores:

Diretoria ASPF:

Presidente:Josué Rodrigues Silva Machado; Vice-presidente:José Luiz Brant de Carvalho; Secretária: Marie Françoise Andriollo Vilela; Tesoureiro: Jayme Altomar

Associados:

Marcelo de Oliveira M. D. Junqueira; Maria Helena de Oliveira Junqueira; Ana Maria Quadros Brant de Carvalho; Maria Simone Goulart Mattos Cavallari

A Escola Nossa Senhora das Graças (ENSG) lança o livro "Atrás dos tapumes", material reflexivo que envolveu os alunos em produções sobre as mudanças e a reforma no prédio da escola.

Inaugurado o Centro Educacional Arco Íris (2005-2010), em parceria com a instituição Arca do Brasil, na Vila Brasilândia, para atendimento de pessoas com deficiência.

Colaboradores:

2º Diretor(a) NE: Maria Ester Dias Alves Tapias Ceccantini

A Associação Pela Família (ASPF) completa 50 anos e comemora lançando o livro "Encontros - Associação Pela Família 1956-2006", no mesmo ano recebe, pela quarta vez, o Prêmio Bem Eficiente, conferido pela Kanitz & Associados.

Começa a funcionar o Centro Comunitário Ipê (2007-2009), com projetos voltados à comunidade do Jardim Jaqueline.

O Centro Educacional Gracinha é vencedor regional do Prêmio Itaú-Unicef na categoria entidade de grande porte

Realizados os primeiros fóruns institucionais, com a participação de associados e funcionários com o tema “Experiências inclusivas nas diferentes unidades”.

Colaboradores:

Diretoria ASPF:

Presidente: Jayme Altomar; Vice-presidente: Marie Françoise Andriollo Vilela; Tesoureiro: Josué Rodrigues Silva Machado; Secretário: José Luiz Brant de Carvalho
Os Centros de Educacionais, buscando fortalecer sua vocação educacional, constroem a Proposta Pedagógica da Ação Social.

É promulgada a lei 12.101/2009 que dispõe sobre a certificação de entidades beneficentes e regula os procedimentos de concessão de isenções fiscais, obrigando a reformulação dos trabalhos. Da verba oriunda das isenções fiscais, antes integralmente utilizada nos centros educacionais, 75% passam a ser destinados a bolsas de estudo em escolas formais, impondo a reformulação de todas as suas atividades.

2010 – Novos Rumos

Chegamos então à década atual, onde a história está sendo construída. Esses anos iniciais da década de 2010 trazem mudanças significativas na legislação, que são impactantes para a Associação Pela Família (ASPF). Essas mudanças legislativas levam a uma reorganização institucional que procura ampliar suas atividades de âmbito social através de parcerias estratégicas. São novos rumos que começam a ser trilhados.

Em decorrência da nova legislação, o Centro Educacional Colibri foi transformado em escola formal de educação infantil e ensino fundamental I, funcionando sob o regime de concessão de bolsa integral.

Na Nova Escola é criado o De.Bate.Papo, um encontro realizado periodicamente com o objetivo de promover a reflexão em espaços para além da sala de aula.

Colaboradores:

3º Diretor(a) NE: Ricardo Luiz Riberi Lobo; 10º Diretor(a) ENSG: Antonio Barbosa Pacheco Júnior

A gestão da instituição da competência da Assembleia de Associados e delegada, até então, a um superintendente, passa para um colegiado denominado Núcleo Administrativo.

Colaboradores:

Diretoria ASPF:

Presidente: Francisco Augusto Carmil Catão; Vice-presidente: Luiz Marcello Moreira de Azevedo Filho, Tesoureiro: José Luiz Brant de Carvalho; Secretário: Magno José Vilela; Conselheiro: Marcelo de Oliveira Monteiro Diniz Junqueira
Colaboradores:

Associados:

Julita Maria Moreira de Azevedo; Maria Ester Brito Moreira de Azevedo Massola; Paulo Brito Moreira de Azevedo; Laura Souza Pinto; Cláudio Alves de Castro; Eurico Pereira de Souza.
-->
São iniciadas as atividades do Projeto Passarim – Orquestra e Coral, nos Centros Educacionais.
Colaboradores:

Associados:

Deniz Caetano Monteiro; Giselda de Figueredo Bastos; Gisele Alves da Silva e Damasceno; Hilda Dacar; Maria Cecília Coutinho de Arruda; Walter Barelli
Inaugurado o Centro de Estudos Gracinha, um núcleo de formação continuada para profissionais da educação e áreas afins.

Lançamento do livro "Histórias de Novos Caminhos", que trata das prática cotidianas do Centro Caminho Novo.

Lançamento do livro " 70 anos, um mosaico de histórias - Escola Nossa Senhora das Graças, Gracinha".

A Associação Pela Famílias (ASPF) amplia seu objeto social e finalidade, passando a integrar o objetivo da Associação, também as atividades culturais.
Colaboradores:

Diretoria ASPF:

Presidente: Claudio Damasceno Junior; Vice-presidente: Alcino Junqueira Bastos ; Secretário: Magno José Vilela

Associados:

Celina Collet e Silva; Marcia Teresa Campos Necyk e Rosana de Souza Marques Corso

Ampliadas as atividades do Projeto Passarim – Orquestra e Coral no Centro Educacional Unificado (CEU) Uirapuru e na casa de Cultura do Butantã.